Projeto de lei pode resultar em mais imprudência no trânsito

Ter permissão oficial para dirigir, através da obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), é o sonho de muita gente. O primeiro ano após a “conquista” é marcado (ou pelo menos deveria ser) por um certo cuidado extra, já que este é o tempo em que a carteira de motorista tem caráter provisório.

O motorista com carta temporária que comete infração gravíssima ou grave ou for reincidente em infração média neste período fica impedido de obter a habilitação permanente. Sempre é bom lembrar que as gravíssimas incluem dirigir alcoolizado e participar de “pegas”. Entre as graves, está não usar cinto de segurança.

Atitudes como estas causam grandes prejuízos não só ao próprio motorista, mas também a muita gente que não tem nada a ver com ele. Logo, é de se pensar que, quanto mais incentivo houver para que o condutor seja o mais cuidadoso possível, melhor.

Esta não parece ser a opinião do deputado mineiro Gilmar Machado (PT). Ele propôs um projeto de lei que abranda as penalidades previstas no Código de Trânsito para motoristas com carteira provisória que tenham cometido infração. A idéia é que eles só sejam impedidos de obter a carta definitiva caso se envolvam em infração gravíssima ou forem reincidentes em infrações graves ou médias.

Se aprovada, adeus cuidado extra com o cinto de segurança, por exemplo. Isso que o trânsito já mata 50 mil pessoas e registra mais de 300 mil acidentes por ano, conforme dados do Departamento Nacional de Trânsito e do Ministério da Saúde. Desde a última segunda-feira, dia 30, a Brigada Militar está entregando no Rio Grande do Sul, pessoalmente, sete mil notificações para condutores suspensos que não entregaram a CNH. Mais uma prova de que já temos uma quantidade suficiente de motoristas irresponsáveis  circulando por aí.

As penalidades são válidas mesmo que o tal cuidado extra exista apenas naquele primeiro ano de provisória. E a mudança na lei só fica pior se formos otimistas e pensarmos que esse período causa um hábito de cautela que permanece por mais de 12 meses.

Comentários

  1. Nicole diz:

    ai que idiota, se já não me bastasse a imprudência que existe hoje!! por essas e por outras que o mundo não evolui!!

  2. Lucas diz:

    Tanta coisa para fazer ou melhorar e vossa excelência perdendo tempo com essas bobagens particulares. Minha mãe sempre disse, “se não podes ajudar, pelo menos não atrapalhe”.

Deixar uma Resposta

*